Capítulo 10 (final de temporada)


Alguns meses após o episódio em que protagonizei uma cena constrangedora com Oscar propositalmente, nós iniciamos um relacionamento. Nos primeiros sessenta dias eu tinha interesse apenas em saber qual era sua verdadeira ligação com papai, mas, no dia a dia, e com todos os encontros que tivemos, Oscar se mostrou um homem atencioso e carinhoso. Isso me deixou desconcertada, e fez com que eu deixasse um pouco de lado essa história de investigação. Depois que o relacionamento se estabilizou, eu procurei ajuda e iniciei a busca por informações sobre Oscar, papai e aproveitei para descobrir a razão que de fato levou a morte de mamãe.

Apesar do charme e do carinho excepcional que Oscar tecia a fim de me encantar, vez ou outra, Nicholas roubava meus pensamentos. Foram dois anos. Eu havia saído de seu apartamento em Abril e veja só? Já estamos em Dezembro. Não deu tempo de esquecer os anos que passamos juntos. Pelo menos eu ainda não esqueci o que passou. Eu não quero esquecer e gostaria muito que ele também não tivesse esquecido. Ainda me sinto presa a ele. Oscar tem sido perfeito, mas Nicholas se tornou insubstituível.

Ainda penso em como ele deve estar, em onde ele deve estar. Estive em seu apartamento um mês depois de minha partida, para recolher as coisas que esqueci e ele não estava mais lá, soube pelo porteiro que ele havia se mudado. Aquilo me doeu de um jeito louco. Quando soube da notícia, liguei pelo menos umas cinquenta vezes, mas ele não atendia mais minhas ligações. Eu definitivamente havia perdido o homem da minha vida e desde então eu tentei esquecê-lo, mas só tentei.

Era a época de o Natal chegar, a cidade estava fria e movimentada. A nostalgia estava no ar, seria o meu primeiro natal sem o Nicholas e eu cruzava os dedos todos os dias de manhã para que por alguma razão ele resolvesse visitar a cidade. Eu havia dado uma pausa nas investigações, mas Dilan e seus amigos que me ajudavam nessa empreitada, prometeram continuar procurando mais informações. Dilan trabalhava para uma rede de investigadores estritamente secreta e diretamente da Austrália, como havia comentado, ele estava de passagem em Truly. Por essas e outras ele quase não visitava Dona Rose, e para convencê-la de que não estava perdido no mundo, fez um cursinho de culinária. Sua namorada também pertencia à rede de investigações, na verdade eles se conheceram lá.

Quando procurei a ajuda de Dilan, tanto eu quanto ele sabíamos dos riscos, mas por sorte ele era da área e pode me ajudar. Conforme o tempo passou, pude ter certeza que papai não era nenhum santo e Oscar menos ainda. Talvez por saber que não valia nada, eu não estivesse cedendo aos seus carinhos e me recordando constantemente de Nicholas, mas eu não podia me afastar. Nosso relacionamento estava sendo imprescindível para as investigações. Oscar estava se distraindo bastante comigo e deixando os assaltos que estava comandando um pouquinho de lado. Os assaltos eram tudo o que eu sabia, por enquanto.

A noite de Natal enfim chegou, Oscar e eu havíamos decidido comemorar na cidade. O café de Dona Rose estava completamente decorado, Dilan e sua namorada estavam presentes, a vizinhança inteira estava. Havia uma enorme árvore e em seu pé, bom, dezenas de presentes. Tudo estava completamente perfeito, na medida do possível.

O café estava repleto de crianças, elas corriam sem parar. Oscar se animou quando nos deparamos com um bebê de cinco meses. Ele ficou apaixonado. Vindo de alguém agridoce, não me surpreendi. Faltavam alguns minutos para dar meia noite, então me dirigi ao balcão para pegar duas taças de vinho. Elas estavam organizadas para que nenhum funcionário precisasse se preocupar. Sentei-me em um dos banquinhos e fiquei me lembrando dos momentos que tive naquele lugar. As conversas com papai e Alfred, o primeiro café da manhã que tomei sozinha quando briguei com Nicholas... Todas essas lembranças estavam doendo e eu não entendia por que.

Meia noite.

Virei-me para o lado a procura de Oscar, o mesmo ainda se divertia com o bebê. Peguei as taças e aproximei-me de seu corpo. Brindei-o com um beijo em sua nuca.

− Feliz Natal, meu bem.



Oscar se arrepiou e logo devolveu o bebê, virou em minha direção e segurando-me pela cintura, desejou-me tudo que há de melhor no mundo seguido de um beijo apaixonado. A noite estava perfeita, tudo corria bem e eu não podia desejar outra coisa.

Depois do beijo, nos abraçamos e quando menos esperava, Nicholas entrou pela porta principal. Ele estava lindo. E eu? Bom, eu estava perdida, descompassada e ainda loucamente apaixonada.



Nos vemos na 3ª Temporada!
Reações: