- O que temos para hoje? – perguntei ao vento.

Já era de manhã, na verdade, ainda era madrugada. 4:48 horas. Levantei da minha cama macia e fui direto para a cozinha. Abri a geladeira e procurei algo para preparar um bom café da manhã. Devorei o meu café sentado assistindo a hora Acme. Fazia tempo que eu não via desenhos e eu simplesmente amava, principalmente os mais antigos.

A madrugada ainda se despedia e essa era a hora em que eu ia praticar meus exercícios. Tinha uma barra com alguns peso para me ajudar a manter o corpo bonito. Sim, sou do tipo bem vaidoso e gosto de ter uma boa aparência, porém, não sou de mostrar meu corpo. Uso roupas um pouco mais largas do que um homem nos dias de hoje está acostumado a usar, mas isso não me incomoda em nada.

Fiquei fazendo meus exercícios enquanto eu ia ouvindo músicas e lembrando da noite anterior, onde eu havia me encontrado com a Elisa. Seu rosto estava cravado em minha mente, o que não era ruim, mas eu temia por algo. Pode ser apenas o desejo de acabar com essa parte da minha vida logo que esteja me deixando assim ou então...

Alexis, pensei.

Parei de malhar e fui tomar um banho para refrescar o corpo. Costumo demorar debaixo do chuveiro, pois gosto de ficar pensando e repensando na vida, ali debaixo, mas meu celular tocou e eu tive de correr para atendê-lo.

Despertador, pensei.
Era apenas o despertador e eu nem me lembrava que ele despertava todo dia as 7 horas da manhã. Desliguei o despertador e vi novamente na tela que havia uma mensagem de texto para mim.

__________________________________________________
__________________________________________________ 


__________________________________________________
__________________________________________________
Mensagem de texto
                                             Alexis Burton

                                                 Ler - Sair
__________________________________________________
__________________________________________________ 


Me esqueci completamente, pensei e logo em seguida, abri a mensagem de texto para ler o que a Alexis queria.

 
__________________________________________________ 

Mensagem de texto

Boa Noite Nicholas, desculpe estar te incomodando a essa hora, mas é que eu percebi ter esquecido as chaves de meu escritório em seu apartamento. Eu acho que caiu dentro do seu closet quando estava acompanhando o trabalho de minha equipe. Gostaria de saber se amanhã bem cedo posso dar um pulo em seu apartamento para pegá-las. Espero que leia a mensagem! Passar bem, beijo.

                                            Alexis
__________________________________________________
 

DING DONG

- Droga! – falei.

DING DONG

- Já... Já vai! – falei.

Corri para pegar a toalha que estava mais próxima de mim e me enrolei nela, corri até a porta para saber quem era e quando olhei pelo olho mágico, era quem eu menos esperava.

- Oi, - falei abrindo a porta e me escondendo um pouco, pois eu ainda estava enrolado na toalha. – senhorita Alexis Burton.



- Olá senhor... Nicholas...? – falou e perguntou ao mesmo tempo.

- Forbes. Nicholas Forbes. – respondi em um sorriso sem graça.

- Não vai me convidar para entrar? – perguntou a bela Alexis Forbes.


Eu nunca havia notado em como ela era. Cabelos negros, tão negros quanto a noite. Seu rosto era claro que deixava de forma perfeita seus lábios vermelhos em destaque, mas nada tirava dela, o poder que tinha nos olhos. Azul como o céu. Azul como o mar. Azul como a vida.

- Ah, claro... – falei abrindo mais ainda a porta. – Pode entrar.

- Obrigada.

 - Só me desculpe por uma coisa...

- O que seria? – perguntou enquanto se virava para mim e então, viu meu estado.

Rimos um da cara do outro e eu fui até o meu quarto para vestir uma roupa. Coloquei uma camisa que estava jogada em cima da minha cama e voltei a sala para falar com ela normalmente.

- Bem Nicholas, eu não quero tomar seu tempo, só vim mesmo buscar minhas chaves.

- Ah sim, mas não estão aqui. – falei.


- Ai meu Deus... – falou Alexis colocando as mãos na cabeça. – Isso é impossível, elas deveriam estar aqui.

- Alexis, - disse. – me desculpe, mas não estão.

- Já ouvi. – falou e se levantou.

Ela andou em direção a porta e eu corri até ela para abrir, e então ela se virou e andou depressa até o meu quarto e eu corri até ela tentando impedi-la de entrar no meu closet. Agora ali era um lugar onde ninguém mais poderia entrar. 

Dentro do closet não tem nada demais, porém, atrás do closet, tem a minha vida secreta e se por um acaso ela descobrir quem eu sou, já era.

- Me deixe procurar lá dentro! – disse Alexis já mostrando muita impaciência.

- Não está aqui eu já falei!

Ela parou e me encarou. Ficou séria e depois me fez cara feia. Esperei que ela me mandasse língua e então ela pulou em cima de mim me empurrando e tentando de todas as formas passar por mim. Eu a segurei com força e com medo de machuca-la, mas ela estava me deixando muito irritado e isso nem sempre é bom. Olhei bem nos olhos dela tentando de alguma forma por medo dela ou mostrar minha irritação, só que não parecia adiantar. Antes eu pudesse joga-la para algum canto e causar um acidente sem querer, eu fiz o que eu nunca imaginei que faria. Pelo menos não com ela.

Sua brutalidade parou quando toquei meus lábios no dela. A beijei e segurei fortemente seus cabelos envolvendo-os pela sua nuca. Suas mãos ainda batiam em meus ombros, mas eu continuei na ideia do beijo, até que ela cedeu e me beijou. Parou então de me bater e começamos um beijo que foi veloz, mas não terminava. Segurei na cintura dela e a tirei da porta do meu closet, ela então segurou minha nuca e jogou o braço por cima do meu ombro. A cama estava a centímetro e nossos olhos fechados. Eu, maliciosamente fui direcionando nossos passos até a cama, onde ela foi impedida de continuar andando para trás e enfim, caiu me levando juntamente com ela para a minha cama.

- Alexis... – tentei falar algo, mas não tinha como.

O beijo não parava e o calor só aumentava. As roupas iam sumindo e nossos corpos mais íntimos iam ficando.

- Ai! – gritei assim que senti uma de suas unhas quase arrancarem minha carne das costas.

- Vem... – sussurrou Alexis e continuamos com nossos beijos e mais apropriadamente dizendo, nossas intimidades.



Reações: