E numa tarde ensolarada dessas, no final do mês de maio de um ano muito distante, diretamente dos mares americanos, um jovem que tem como objetivo massacrar os atos cruéis dos piratas, mas para ele realizar este ato deve passar por testes, o seu primeiro estava sendo naquele momento da tarde, onde ele desrespeitou uma forte tripulação causando um caos total e deixando o capitão com uma fúria tamanha.
O capitão James pega então a sua espada e lança em direção à Noah, ele se desvia com dificuldades e a ponta da espada atinge a ponta da sua roupa, James propriamente se elogia:
- Parece que você não é tão bom assim não é verdade?
- Fique tranquilo, eu estou apenas me aquecendo! – responde Noah olhando para trás.
A espada fica agarrada numa coluna e racha-a até a metade, demonstração de que a força de James era de alto nível, Noah fica olhando e pensando: “Preciso tomar mais cuidados, esse cara é mais forte do que parece.”; James avança para cima de Noah desarmado, o jovem apenas tenta se proteger dos golpes do capitão do Att4ck. Noah numa velocidade impressionante coloca a mão na coluna e pega a sua espada, ele tenta acertar James, mas não consegue, o capitão pega a sua espada que estava agarrada na coluna e daí os dois ficavam armados naquele momento.
Noah resmunga dentro de si:

- Se eu não oscilar, posso matar logo James, mas devo ficar sempre atento, pois ele é forte e ágil, nesse momento só com uma estratégia de ataque para eu derrotá-lo mesmo.

Noah ataca James, que se esquiva, logo James é quem revida o ataque para cima de Noah que se abaixa evitando a decapitação, mas de qualquer jeito James acertou-o com um forte chute na barriga fazendo Noah cair, James então se ajeita para atacá-lo com a sua espada, mas Noah apesar de estar caído se protege com a sua espada. Noah tinha uma cartola na manga, ele pegou com a mão esquerda (a sua mão mais fraca, já que a outra ele estava utilizando para se defender no chão) uma pequena faca e acertou o braço esquerdo de James que parou de atacar Noah, nesse momento é que o jovem atacou o capitão que não conseguia se defender.
Noah atinge o braço ferido de James novamente com a sua espada, porém foi de raspão, o braço do marginal dos mares ficou mais ferido o que fez sentir mais dor e obviamente não se concentrar mais tanto na luta que estava ocorrendo no local. James apesar de machucado tenta atacar Noah, mas leva um soco e um chute forte, ele não para e tentar acertar o jovem novamente, mas nada acontece; Tudo o que Noah queria naquele momento parecia estar acontecendo.
James não para e após tentar (fracassadamente) matar Noah, o jovem o agarra pelo pescoço e começa a falar:
- Está tudo acabado, não acha? Desista, não tem mais jeito, você sempre fez isso com as pessoas, agora é a sua vez!
- Um moleque como você achando que fará alguma diferença para o mundo? Não me faça rir agora, estou muito ferido para isso, o que você quer ser? Herói? Mocinho? Ser reconhecido? Seu patético. – disse James que não movia mais o braço esquerdo.
Noah acerta James com a sua pequena faca (a mesma que o atingiu no braço esquerdo), mas desta vez foi no lado do peito, James mesmo assim conseguiu acertar Noah no peito com a espada, mas apenas pegou apenas de arranhão. Noah consegue pegar a espada de James e atirar para fora do navio.

James pergunta rindo para seu adversário:
- É só isso?
- Não! – respondeu sem rir Noah.
Logo que o jovem respondeu a pergunta abusada de James, ele atingiu o peito de James com a sua espada, o patife fica caído no chão sem conseguir se mover muito. Noah então pega correntes e o prende em uma pilastra.
Noah fala para o quase morto James:
- Que ironia não é? Você sempre matou pessoas deixando-as presas em celas e em correntes e agora é morto em seu próprio jogo, você será o primeiro de muitos piratas que eu vou por um fim! Última coisa deixe-me pegar essas chaves do seu bolso, sei que aquela ilha é sua...
- Não se alegre tanto assim. – respondeu James que não tinha mais condições de sair dali.
Noah pula do navio e vai em direção à ilha de Manhattan onde estariam esperando por ele, Joshua, David e William. Ele percebe que o navio afundou por completo (potencialmente junto de James), após alguns minutos Noah aparece na ilha.
Joshua pergunta para o jovem:
- Achei que você estivesse morto cara!
- Claro que não, apenas estava dando um jeito naquele cara. – disse Noah que estava com o corpo sujo de poeira e de sangue.
William pergunta para o jovem:
- Porque nós estamos aqui mesmo?
- Vejam por trás desta mata... – respondeu Noah os levando para um lugar secreto da ilha.

Todos ficaram maravilhados, pois se depararam com muita riqueza, havia até baús enterrados no chão no qual Noah os desenterrou e os abriu com a chave que pegou na roupa de James, o que o jovem assassino dos piratas mais queria naquele momento era um navio rápido e não muito grande, ele conseguiu encontrar naquele mesmo lugar.
Joshua fala impressionado:
- Nossa! Eu nunca pensei que James teria uma ilha própria cheia de riquezas, pedras preciosas e navios!
Noah divide todo o dinheiro dando um pouco para David e um pouco para William, ele também decide dar metade para Joshua, mas ele não aceita dizendo: “No momento eu não estou a fim de ficar rico, mas quero que você me faça outro favor ao invés desses.”.
Noah pergunta um pouco confuso:
- O que seria esse “favor”?
- Eu queria voltar para minha casa, você sabe tudo desses mares, será que não poderia me levar de voltar para os meus pais? É só isso que eu quero! – respondeu olhando para o chão com um semblante triste o menino Joshua.
Noah pensa bem e responde: “Verei o que posso fazer por você Joshua”, eles descansaram até o sol se pôr, lodo todos se despediram e agradeceram muito à Noah.
David teve que falar:
- Você realmente tem um grande coração Noah, espero um dia voltar a revê-lo ainda com essas atitudes heroicas!
- Muito obrigado, até um dia desses David e William! - respondeu feliz Noah.

A Dupla-Travessa David e William pegam um pequeno bote da ilha e assim partiram sem declarar a cidade que estariam. Noah pega um Clipper, navio de capacidade para cerca de 50 homens, disponibilidade de 10 canhões, reconhecido pelos piratas e marinheiros como um dos navios mais rápido do mundo. Ele sobe já embarcado de seu novo navio, os navios daquela ilha ficavam amarrados, mas já ficavam no mar, não se podiam ver os navios, pois eles sempre estavam na parte inferior de Manhattan e era composta por muitos matos.
Joshua fica olhando sem fazer alguma reação e Noah sente que precisa falar algo:
- Então... Vamos? Você não disse que queria retornar para casa? Eu sei onde fica a cidade de Rochester.
- Espera... Como você sabe que eu moro em Rochester? – perguntou confuso Joshua.

- Quando James atacou a sua cidade natal, eu estava em cima de uma árvore apenas observando, eu o vi atacando os seus pais e você se revoltando com ele, não era para ter feito aquilo, James era perigoso, mas eu sempre estive observando aquele patife, pois eu precisava de um navio bom e foi daí que percebi que aquele cara tinha vários navios e riquezas numa ilha secreta (percebi isso de tanto pesquisá-lo), mas não poderia atacar assim do nada, quando ele foi embora de Rochester eu pulei da árvore na qual tava escondido e me vesti com uma roupa feminina, fui nadando em cima de uma tábua que quebrei para os tripulantes do Att4ck pensarem que eu estava desmaiado, logo tudo ocorreu conforme combinado e me rende propositalmente, pois em Rochester no momento em que desci da árvore eu mergulhei no mar sem que ninguém tenha visto e coloquei um dispositivo coberto por massa para não ter um curto circuito, depois de algumas horas ele explodiria o que aconteceu, daí todos os tripulantes sairiam do navio e eu lidaria face a face com James, foi um plano bem arriscado, mas enfim, deu tudo certo no final e agora estou pronto para iniciar oficialmente a minha jornada! – explicou todos os mínimos detalhes Noah.
- Jornada? Que jornada seria essa? – perguntou Joshua curioso.
- Eu tenho como objetivo exterminar toda a raça pirata do planeta! Não aguento mais ver aquelas pestes se esnobando e matando camponeses e mercantes! Vou dar um basta nisso de uma vez por todas! – responde com um olhar de grande determinação Noah.
Joshua fica observando as palavras daquele jovem, os dois entram no Clipper que agora é de Noah e embarcam em direção a Rochester. No dia seguinte eles finalmente chegaram à cidade, Joshua foi correndo acompanhado por Noah até a sua casa, lá estavam os seus pais ainda em prantos de choro por não terem o seu filho por perto. Joshua abre a porta e reencontra numa imensa felicidade com os seus pais, todos se abraçam alegremente.

O pai de Joshua pergunta:
- Filho, como você fugiu de lá? Quem é esse garoto?
- Relaxa pai, ele foi que me salvou daquele navio, o seu nome é Noah e ele é um Caçador de Piratas! – disse Joshua.
- Muito obrigado por salvar o nosso filho seremos eternamente gratos, sou a mãe de Joshua e me chamo Sofia Carter e o meu esposo é o Landon Carter, você deseja almoçar hoje conosco? É o mínimo que podemos fazer já que você nos trouxe de volta Joshua. – Sofia oferece comida para Joshua.
- Eu não aceitaria, mas estou faminto! – fala rindo Noah.
Eles comem muito e descansam na rede, Sofia e Landon foram trabalhar em suas barracas e Noah e Joshua ficaram na casa.
Noah pergunta para o seu novo amigo:
- Você não vai trabalhar não? Eu já estou de saída.
- Por favor, fique até o final da tarde aqui, vou te mostrar uma coisa Noah... – Joshua leva-o até um lugar deserto onde estavam vários objetos de treinamento de luta. – Havia um cara que ficava o dia inteiro treinando aqui, não sabia direito o porquê, mas em um dia apareceu um pirata dizendo que ele estava devendo e atirou nesse cara, ele morreu e eu vim correndo para casa com medo, acho que eu tinha uns nove anos apenas, ou seja, faz muito tempo.
- Sim, concordo então você não vai querer proteger a sua família? – perguntou Noah.
- Protegê-la? Contra os piratas? – perguntou Joshua encabulado.

- Joshua... Se você continuar esse mesmo garoto tímido e sem nenhum jeito com lutas vai acabar “perdendo” a sua família de novo, e agora pode não ter eu ou alguém como eu para lhe ajudar, acho que já está na hora de você mesmo se virar, quer treinar aqui um pouco para você ir aprendendo alguns golpes? Eu sou Dan nível dois (Nidan) e já sou profissional utilizando também espadas, aprendi tudo com um professor! – recomenda Noah.
- Eu aceito Noah, por onde começo? Eu não entendo muito bem essas faixas das artes marciais, mas qual seria a minha primeira? – fala rindo para descontrair Joshua.
- A sua seria uma simples Kyū branca! – responde Noah se exibindo.
- Quem sabe um dia eu não te passo. – disse sonhando alto Joshua.
- Pois é... Vamos lá! – responde Noah levando-o até as zonas de treinos.
Eles praticaram tudo o que podia naquela pequena e velha arena, Noah treinava Joshua e ele mesmo se treinava para sempre ir ficando mais forte e não perder o ritmo, Joshua ficava surpreso com Noah treinando, pois ele era muito rápido além de saber utilizar muito bem a espada e Joshua pensou dentro de si: “Nossa ele é mesmo veloz. Para ter matado James realmente Noah deve ser forte, mas porque ele é faixa preta? Será que é para matar os piratas?”. No fim do treino, já era quase o pôr do sol, Noah e Joshua demonstravam cansaço.
Noah já se preparava para se despedir de Joshua, Sofia e Landon, pois pensava o jovem que quando chegasse à casa de seu novo amigo ele pegaria os seus objetos e zarparia em seu Clipper em busca de seus sonhos:
- Parece que foi bom enquanto durou, não tanto para você não é verdade? Tomar um susto daqueles com James, mas agora é só eu pegar as minhas coisas com os seus pais e partir... Eles já chegaram?

- Sim, eles vão ficar preocupados por eu não estar em casa, ainda mais agora por causa desses recentes acontecimentos! – disse Joshua rindo.
Joshua ainda queria ir mais afundo nesta história de caçador de piratas:
- Noah, você não acha melhor ficar aqui conosco ou voltar para a sua família? Os piratas são traiçoeiros, você não está lidando com outros caras de Artes Marciais e sim com os maiores marginais do planeta, além do mais... Certamente você vai começar a ser perseguido pelos guardas dos Reis...
- Obrigado pela orientação Joshua, mas se alguém neste mundo não tomar uma decisão não acha que a nação dos piratas vá aumentar? As pessoas sem caráter vão perceber que é mais fácil roubar os outros e vagar pelos mares do que ter que trabalhar, assim o mundo vai ficar cada vez pior, você foi atacado por um pirata, daqui a algum tempo claramente você e seus pais serão atacados novamente por outros e outros piratas... Eu quero mudar essa história, mas não sozinho, junto do Clipper que peguei de James (ele deixava as suas melhores joias como navios, pedras e metais preciosos, além de muitos pesos na ilha para ninguém suspeitar de que ele era destemido) e agora formarei uma tripulação caçadora de piratas que possuem o mesmo objetivo ou quem sabe outros para exterminar de uma vez esses seres. – disse Noah.
- Noah, tu esta certo, eu não quero mais que venha outros piratas me atacar e roubar os meus pais, então é por isso que você quis me ajudar naquele treino, eu pelo menos agora já tenho bastante noção de luta, também odeio aqueles mafiosos! – completou Joshua com raiva.

Eles chegam finalmente na casa dos pais de Joshua, como o jovem havia falado Sofia e Landon estavam muito preocupados e nervosos com a ida de seu filho para a zona de treinamento... Noah pega as suas coisas e se despede de todos.
Noah já estava subindo as escadas de seu navio, quando, Joshua olhando bem para o mar e para o navio e relembrando de James decide falar algo inclusive para os seus pais que também estavam ali:
- Pais e Noah, eu estou determinado a partir de agora... A ser um caçador de piratas, junto com Noah!
Noah olha para Joshua e ri sabendo dos perigos que ele vai encontrar pela frente, mas não responde nada a respeito. Os pais dele não concordam com o ato do seu filho: “Você está maluco Joshua? Os piratas não são pessoas de brincadeira, e se acontecer aquilo novamente?”.
Joshua não fica calado e faz gestos como se tivesse a certeza absoluta do que estava falando:
- Eu amo vocês, por isso eu devo proteger o que amo, ou seja, devo lhes proteger dos piratas, então eu quero me tornar um aventureiro com Noah e a sua futura tripulação e assim derrotar todos os piratas que encontrar pelo caminho, desta forma ninguém chegará a atacar vocês, pois nós vamos navegar em todas as rotas deste país, até não haver nenhum marginal, logo o mundo e daí terminará o domínio pirata!
- Não filho... – respondeu em lágrimas Sofia.
- Esta errada Sofia, deixe-o ir! – disse seu pai Landon.
- Ele não pode encarar isso, o que você tem na mente Landon? – perguntou nervosa Sofia.

- Esses piratas vão voltar, vão roubar a nossa comida, casa ou até a nossa vida, o nosso filho será o nosso protetor pelos mares, assim ninguém mais encostará a mão na gente de novo, entenda, às vezes é necessário fazer certos sacrifícios como este amor! O que vai ser Sofia? – disse Landon.
Sofia fica um tempinho pensando, já estava escurecendo, então que ela fala com um semblante triste:
- Eu quero ver você sendo famoso pelo mundo filho, pode ir! Mate todos os piratas do mundo!
Joshua fica muito feliz e agradece profundamente os seus pais, logo ele entra no Clipper com Noah onde sairiam em várias aventuras que o aguardam.
Antes de sair Joshua pergunta para seu novo perceiro:
- Pode contar comigo como seu novo imediato! Estou as suas ordens, aprenderei tudo contigo e ainda serei um mestre em artes marciais assim como você!
- Então, está pronto? A nossa aventura vai começar agora imediato! – responde Noah ordenando o seu novo e primeiro tripulante.
Noah pega todos os seus instrumentos marítimos que estavam numa bolsa e pega também um chapéu pirata com um risco vermelho na caveira e uma bandana vermelha (o chapéu e a bandana era do próprio Noah, o resto era novo e já estava no Clipper). Noah olha para a bandana e a aperta forte e quase chora, Joshua fica observando com um pouco de dúvidas, mas desta vez não faz nenhuma pergunta: “Tem coisas que não se deve perguntar, mas sei que ele está relembrando várias coisas olhando para esta bandana...”.
Joshua desperta seu Capitão e o avisa:
- Capitão Noah, qual será o nome da nossa tripulação?

Noah coloca a bandana na testa e fala:
- Será DR3AM, porque o nosso sonho de derrotar os piratas não vai cair por terra, nós conseguiremos sem dúvidas!
Cheio de determinação, Noah coloca o seu chapéu antipirata e o navio zarpa naquele momento para as mais terríveis e gloriosas guerras que alguém poderia enfrentar, os pais de Joshua apenas acenavam para a ida do navio no píer de Rochester apoiando os sonhos e as ambições do seu menino. Assim os viajantes partem no fim do pôr do sol.
Reações: