“3 Cenas”

"Cena 3" – "Final"

“... Acordei assustado, na sala de aula com todos me olhando e o professor me encarando com o olhar fatal dele. Olhar de quem estava prestes a reprovar... Um aluno que dormiu na aula”.




O Lobo preto estava de pé do lado direito, com o dragão no meio, com o olhar meio perdido e suando um pouco pela suas escamas, e do lado esquerdo, o jovem raposo confiante. A Frente a bruxa de baixa estatura e vestido preto, feito de renda amarrado na cintura, os olhava com os seus olhos verdes.

- Vamos! – berra o lobo correndo e erguendo a sua espada, tentando acertar a feiticeira que cria uma barreira com círculos de magia e estrela de dez pontas dentro, podia-se reconhecer alguns símbolos astrológicos conhecidos de todos, os planetas.

- Ok! – berra em resposta ao raposo, saltando pra cima da bruxa, colocando a sua rosa vermelha em contato com a sua boca. Esta brilha intensamente, atirando um flash de energia vermelho pra cima da bruxa que, rapidamente, aumenta a sua barreira com mais força e energia. Se protegendo, o ataque do raposo desliza para longe por cima da barreira.

Por trás dela, ela sente um calor inesperado se aproximar, enquanto está com um sorriso de vencedora no rosto. Ela vira um pouco os olhos para traz e vê claramente, Bafo de Fogo se aproximar dela muito rápido, sem ter tempo de mudar a barreira ela salta para cima, muito alto, saindo do alcance do fogo.

Quando o fogo some podia-se ver o dragão parado e meio corado sem jeito.

- Errei... – diz ele sem graça.

O Lobo e o raposo se olham e sorriem para o dragão.

- Que nada! – diz o lobo.

- Mandou muito bem! – também fala o raposo. Deixando o dragão meio encabulado.

- Vamos todos em galera! – incentiva o lobo já saltando pra cima pra bruxa com a sua espada erguida e desferindo alguns golpes físicos nela. O qual ela os defende com pequenas barreiras em sua mão direita, e com a mão esquerda, ela rapidamente junta energia dela e transforma em fogo verde-negro que ela faz explodir próxima a barriga do lobo que, ao explodir, é mandado para longe.

Enquanto o lobo desce, o raposo chega saltando para cima da bruxa e com a sua rosa, ele assopra uma de suas pétalas que se desintegram e de suas minúsculas partes, raios de energia seguem para bruxa.

Rapidamente ela os vê e desvia com astúcia e com uma barreira refletora em sua mão, reflete alguns de volta para o raposo. O garoto desvia, mas olha serio mostrando os dentes afiados e pontudos para ela enquanto está de pé encima de uma grande rocha pontuda de cor vermelho-sangue.

- Ah! – berrava o dragão, voando com as suas asas escamosas com muita velocidade pra cima da bruxa e acertando a suas costas com tamanha força, a empurrando em direção a rocha onde o raposo estava. Ele pega a sua rosa, a faz flutuar entre suas patas. A mesma some e no lugar, se forma uma bola de energia intensa e vermelha escura. Ele fecha e abre os olhos atirando toda a energia na bruxa e a acertando em cheio.

Fazendo-a gritar muito alto e caindo no chão, enquanto seu corpo tremia.

Agora com o rosto sério, ela olhava para o dragão e o raposo acima dela. Seus olhos ficam mais escuros.

- Vou... Acabar com todos... Todos Vocês...! – diz ela se erguendo e ficando de pé, a sua energia explodia de dentro dela para fora e rapidamente ela levantava as mãos para o céu que começava a ficar escuro.

- Não! – berrava o jovem raposo que preparava a sua rosa em sua mão – Não podemos e não vamos deixar isso acontecer nunca mais! – berrava ele, e saltava ficando de frente para ela, mas com ela de ombros pra ele.

- Não sei o que pretende Bruxa... Mas sinto que não devo deixá-la fazer... – levantava voo o Dragão e parando atrás dela novamente, se posicionando em forma de ataque.

- Isso mesmo Dragão... Não devemos deixá-la viva mais nesse mundo... Foi para isso que recrutamos você... Precisamos tirar essa bruxa daqui... E você está aqui para ajudar-nos de agora em diante... – Dizia o lobo se aproximando e andando, fitando os olhos negros da bruxa. Parando de frente para ela.

- Bruxa imortal... Selaremos a vida e os problemas dos mundos aqui... E agora!  - Diz o lobo guardando a sua espada e apontando a sua pata direita para a bruxa.

O Jovem raposo fecha os olhos, sentindo os ventos fortes da tempestade que eram causadas pela energia da bruxa, e aponta a sua rosa.

O Dragão se ergue, abre as asas e abre a boca.

Da mão do lobo, da rosa do raposo, da boca do dragão. Três esferas de luz cresciam brilhando fortemente e interligando-se umas nas outras formando um triangulo.

No centro, o corpo da bruxa sumia em energia verde-negra e dava lugar a um grande demônio negro de energia verde de chifres, selado dentro do triangulo rugindo.

- Chega de problemas... – dizia o lobo – Lacro você aqui e agora, para que o tempo e a vida voltem a andar corretamente... Como Tudo e todos querem... – termina o lobo de dizer e o Demônio é lacrado dentro do triangulo de três cores.

- Adeus... – dizem o dragão e o raposo.

As três esferas de luz, Branca, vermelha e laranja atiram respectivamente um rápido no “corpo do demônio lacrado que se desintegra de fora para dentro, sendo absorvido para o ponto onde as três se encontram. Até ele todo sumir, e o tempo, o céu, e a tempestade, tudo voltar ao normal.

Todos de olhos abertos olham uns para os outros sorrindo e depois para o céu.

- Muito bom em dragão, para a sua primeira missão aqui – diz o lobo sorrindo.

- Aqui? – pergunta o dragão que cai no chão fechando os olhos e inconsciente.

-O raposo e o lobo correm até ele e o dragão os pode ouvir chamando por ele.

- Dragão! Dragão! Acorda!

***

- Acorda! Acorda!

O Garoto de cabelo curto abre os olhos e vê a cintura de um homem alto e meio magro.

- Acorda!

O garoto olha para cima e vê. Seu professor de óculos o encarando com um rosto assustadoramente nervoso.

- Eu falei para você acordar! – resmunga uma garota atrás dele.

Ele estava na sua sala de aula. Com os seus colegas olhando para ele e a sua cara de sono.

- Você... – começa a falar o professor em tom sério – Vai ficar na escola após a aula para limpar todas as salas do andar!

- Não!! – exclama o garoto chorando abundantemente, enquanto o professor se vira e vai para frente da classe, mandando todos abrirem os seus livros para voltarem a aula.

E agora, mesmo inconformado, o garoto olhava para o lado de fora se lembrando.

Estou nesta nova cidade, nova escola e com estes novos colegas há apenas um mês... mas já me sinto em casa”.

Do lado de fora da escola, à placa com nome da escola dizia:

Bem-vindo a Escola Ani-Malws – Seu Filho, Nosso Guerreiro”.
Reações: