A Bola Perdida



Acima das nuvens.

O céu azul e calmo, iluminado pelo sol transmitia calma a qualquer um que olhasse.

Andando tranquilamente.

Um homem.

Aparência de um adulto e vestido de branco. Camisa meio aberta no peito. Andando descalço sobre as nuvens macias.

- Detesto sapato, me deixa muito humano... Pelo menos na minha opinião. – Dizia ele olhando para você.

- Sim, posso e não posso ser quem você acha que sou. – Ele conversa calmamente, se sentando na nuvem, esticando as pernas. – Sabem... – começa ele a conversar olhando para o céu também. – Vim aqui, para lhes contar uma história... Uma história até engraçada do meu ponto de vista... – o homem começava a sorrir e a rir – Mas do de vocês... Vocês brigaram muito comigo por causa disso... – continuava ele a sorrir. – Deixe-me contar, ou mostrar, o que aconteceu naqueles dias... – Rápida pausa – Quando eu era mais novo, e a Terra, também.
***

-Flashback-

Continuávamos a ver uma nuvem.

Mas agora, cheia de crianças, humanas e animais.

Juntas.

Brincando felizes, de futebol.

Sim... mesmo tanto tempo atrás, eu já adorava esse esporte. E sim! Eu uso a palavra “adorava” para mostrar que sempre gostei de algo, desde criança”.

Um jovem garoto, aparentemente de 13 anos de idade, energético e correndo na frente de todos do time, e com companheiros do lado, se preparava para chutar a bola.

Tão rápido na frente de todos ele chuta a bola para o gol.

Forte.

O lobo goleiro do time adversário salta na hora exata e salva a bola de entrar no gol. Mas ele não a segura.

Ele a espalma para fora, para fora do nuvem onde jogavam. A bola então é vista por todos caindo e caindo.

Sumiu.

- Xi... – Diz o goleiro lobo de pelos dourados e alaranjados – e agora?! – pergunta ele para todos os outros.

- Ah... Agora a gente vai buscar – diz o garoto que havia chutado a bola.

Nesse instante algumas mulheres, também humanas e animais, muito maiores que as crianças, e sem poder mostrar os rostos, se aproximam já cortando o assunto.

- Ninguém vai descer. – Fala a mulher humana.

- Por quê?! – contesta o garoto que havia chutado.

- Porque não se deve descer. Jamais! – responde ela em tom de advertência e sai com as outras mães, virando de costas e andando.

Todos os garotos se sentam na nuvem de cabeça baixa chateado.

Conversando entre si meio tristes.

- Vamos pessoal! – diz o garoto – venham todos aqui. – Pede ele.

Os garotos, humanos e animais se ajuntam. Podendo apenas ouvir os cochichos deles.

O garoto lobo de pelos laranja-dourado levanta a pata e todos se separam continuando a conversa.

- Então fazemos assim – o garoto continuou – o Lobo desce e eu ajudo ele daqui de cima. Os outros se revezam para ver se as nossas mães não voltam.

- Ok! – todos dizem concordando.

Rapidamente o garoto lobo faz aparecer a suas asas brancas e abre-as, levantando voo.

E descendo num mergulho que atravessa a nuvem.

Num instante ele a atravessa e vê um lugar totalmente diferente do que ele imaginava.

Ele estava na Terra.

Rapidamente ele ouve um trovão ao longe, e nuvens negras se formam rapidamente.

- Lobo!

O garoto lobo se virava procurando pelo garoto mais não o via de lá, apenas o ouvia.

- Pode falar estou ouvindo! – respondeu ele.

- Corre para achar a bola! Parece que caiu em algum lugar mais pra frente! E corre que parece que vai ficar feia a coisa ai! – diz ele

- Ok! – responde ele olhando as nuvens cinza, mas rapidamente voava pela terra procurando pela bola.

***

Passados alguns minutos, ainda procurando pela bola arduamente e com muita pressa, o lobo vê um homem na Terra.

O jovem lobo lembrasse da tempestade que estava vindo e resolve alertar o homem que aparentava estar tranquilo.

Ao se aproximar o homem fecha os olhos com força.

- Ah!! Que luz forte! – diz o homem em voz alta – o Sol estava tão forte assim?! – se pergunta ele.

O garoto lobo percebe que ele não podia vê-lo nem tocá-lo, mas podia percebê-lo.

- É... Senhor! – fala o jovem garoto lobo.

- Há?! Quem?! Quem está ai?! – Pergunta o homem – Oh Deve ser um anjo iluminado! – diz o homem.

O Garoto lobo pisca seus olhos olhando para o homem com cara de quem não entendeu, mas continua.

- Cuidado porque vai chover em! E parece que muito em! – diz o garoto que emenda numa brincadeira – Melhor construir um barco! Vai que...!!

O homem faz um sinal com a cabeça que entendeu e sai correndo.

O garoto lobo continua a sua procura pela bola.

Tão rápida e tão brilhante o lobo era, que não notou uma diferença sutil para ele naquela época.

Passados alguns minutos.

O jovem garoto encontra a bola jogada num canto de um terreno. Encostada num pedregulho.

O garoto simplesmente pega a bola e levanta voo para o céu.

Chegando lá...

- E ai? Conseguiu? – pergunta o garoto todo energético e pulando.

- Sim! – responde o jovem lobo mostrando a bola para todos.

Rapidamente eles voltam a jogar novamente no céu, encima das nuvens.

As mães dos garotos voltam instantes depois e os veem jogando futebol.

- Esses meninos... Adoram correr e chutar essas bolas não é? – comenta perguntando a mãe do menino energético.

- Há com certeza. – Responde ao comentário, à senhora mãe do lobo. Uma mulher toda bem vestida.

- Alias – recomeça ela – vocês ficaram sabendo que choveu na terra por 45 dias? – pergunta ela perplexa para as outras mães.

- Não. Por que será?! – rebate outra mãe.

- Não sei... Só sei que foi algo muito estranho de ocorrer... Ninguém mandou chover tanto assim....

As mães ficaram conversando entre si sem entender o que houve.

-Fim do Flashback-

- É... – Volta o homem a dizer – Nem tudo eu planejei... E aquilo? – diz o homem com um ar calmo e meio sem graça – foi um acidente gente. Desculpa em. – diz ele voltando a caminhar numa nuvem até sumir.
Reações: