Capitulo 4

Beast and the Harlot – Avenged Sevenfold

00H30M.

Guilherme já estava no portão esperando enquanto Marcos ia ao quarto de sua mãe. Levou a mão a testa dela, estava dormindo. Deu um beijo de boa noite nela. Abriu a porta da varanda e trancou por fora. Largou a chave pela varanda mesmo, quanto menos coisas carrega-se, melhor. Saiu pelo muro. Se abrisse o portão poderia acordar alguém. Viu Guilherme esperando do lado de fora, era a hora.

***

Yuri acordou e depois de se lembrar de o que tinha visto. Rapidamente olhou em direção onde estavam as garotas. Ainda estavam lá. Só que com o corpo inteiro, só estavam desmaiadas. Pensou em chama-las, mas não. Ficou olhando em volta e ouviu passos de pessoas vindo, rapidamente fingiu que ainda estava desmaiado. Deixou o olho um entreaberto, mesmo que pudesse ver pouco, via algo. Apenas um homem havia entrado ali e resmungado algumas coisas. “É ele, o filha da puta que me trouxe pra cá” – pensou Yuri. Pouco tempo depois vieram mais três. Então os ouviu falando:


class="MsoNormal" style="text-indent:35.45pt">-Ele já está vindo, mas receio que não sozinho, acho que aquele outro também está com ele. – Disse o primeiro.

-Eu vou lá tentar para-los, vocês fiquem aqui caso ele passe, dois de vocês lá na porta, um aqui para ver quando vão acordar, e eu paro ambos. – Disse o segundo.

Os outros concordaram. Cada um foi para cada lugar, Yuri pensou que iam pegar alguma arma de fogo, talvez fossem apenas bandidos. E quem diabos seriam os dois de quem falaram?

***

Marcos e Guilherme corriam ao máximo que podiam. Então Guilherme falou:

-Por que você está fazendo isso por eles? Você era conhecido por nunca se envolver com ninguém, muito menos dar a sua vida por alguém, então, porque eles?

Marcos se manteve em silencio, Guilherme já esperava que não fosse falar, então quando pensou em desistir Marcos falou:

-Também não faço ideia, mas eu preciso protegê-los. Eles são importantes pra mim. E eu não era conhecido como o insensível, eu não te protegia quando você fazia merdas?

-É, mas você me treinava, eu tinha que ser sua copia, ou seja, ser perfeito. Era assim que todos me viam, e pensaram que você queria que eu fosse.

-Até parece, eu realmente me importava com você. Era só por isso.

-Você se lembra de que era o mais novo né? Tipo, o mais próximo da nossa idade tem 25 anos, e você com menos de 15 já era o mais forte. Ninguém nunca soube como, mas você era.

Marcos então se manteve em silencio, só conseguiu dizer:

-Já estamos chegando

-Cheiro?

-Não, tem uma pessoa esperando agente pra uma emboscada, a meio quilometro, já consegue alcançar?

-Consigo.

-Diminua os reflexos dele, o resto eu cuido.

-Como sempre, a maior diversão é sua.

-Mas o credito vai para você, eu sei que você não está reportando que eu estou ajudando.

Guilherme para e faz o que Marcos falou. Não deu nem 10 minutos, Marcos já estava no lugar onde estava a pessoa, parou no meio da rua e abriu um sorriso, deixou uma faca descer pela sua mão. Como se soubesse vira e joga a faca. Acertou, um homem vinha atrás dele. A faca foi exatamente na garganta. Marcos foi se aproximando dele devagar. Colocou a mão em seu peito e não como quem não deixaria que morresse. Então perguntou:

-Onde estão?

O homem ficou calado. Com a mão ainda no peito, Marcos começou a rasgar mais a garganta, então falou:

-Você sabe que não vai morrer até eu querer, certo? E eu vou continuar te torturando, e torturando e torturando. Então pra evitar isso, me responde, onde estão?

O homem ficou calado, então Marcos começou a rasgar mais um pouco, o homem já não conseguia gritar. Quando Marcos ia começar a rasgar mais, o homem apontou para uma direção. Marcos sorriu e disse:

-Muito bem. Agora você vai apenas desmaiar, eu vou lá ver. Se não for, eu volto aqui, e continuo te torturando, dessa vez sem pena, se for e eu não voltar, você morre do mesmo jeito, o que vai te manter vivo aqui vai ser essa energia que está circulando em você.

Então o homem desmaia e Marcos o solta. Na mesma hora Guilherme chega, vendo o sangue e Marcos retirando a faca do pescoço do homem e guardando. Então Guilherme diz:

-Nossa cara, como você consegue? Você é frio de mais, olha só pro maluco, tem um corte de uns 5 centímetros no pescoço. Pensei que você tinha esfriado na tortura. Me desacostumei.

Marcos sem falar uma palavra começa a correr em direção que o homem tinha falado, Guilherme ainda fica olhando para o homem por mais alguns segundos, então começa a correr novamente.

***

Laila acorda devagar e olha em volta, vê Yuri e Mariana lá, então deu um grito. Entrou um homem na sala. Pouco tempo depois que ele entrou, vieram mais dois. Poucos segundos depois Mariana acorda também, e exatamente como Laila solta um grito. Um homem para do lado de Yuri e diz:

-Eu sei que você está acordado, pare de fingir.

As duas ficaram olhando enquanto choravam. Yuri então levanta a cabeça, tudo que consegue falar é:

-Vocês... São... Um bando de... Filhas da puta.

O homem sorri sarcasticamente e da um murro na cara dele. Yuri começa a sangrar no nariz, então o homem diz:

-Vamos começar logo, dissecar, dissecar, dissecar, tudo vale a pena.

Os outros dois viram e começam a pegar o bisturi. Vendo que o seu ainda estava de costas para ele, Yuri conseguiu estender as pernas e as prender no pescoço dele. Em segundos, Yuri puxa o homem para si e torce o pescoço dele. Ficou olhando a situação e vendo o que fez, não sabia exatamente o que era, mas fez.

Os outros dois começaram a perfurar a pele delas com o bisturi, quando de repente duas pessoas entram naquele sótão, um deles estende a mão e os dois homens caem, não sabia se estavam mortos ou só desmaiados. O outro homem veio com uma espécie de faca com a ponta curva não mão. Colocou a mão sobre o primeiro, fez uma cara de decepção. Yuri logo pensou: “Aquele, está morto.” Então ele se dirigiu ao segundo, apenas abriu um sorriso. Com a faca encaixou a ponta curva no pescoço do homem então arrebentou algo. Yuri olhou e disse:

-Quem são vocês?

Um deles olha e diz:

-Desculpa, não podemos dizer.

-O que é isso que ele está fazendo?

Então o que estava com a faca levantou e disse:

-O fazendo pagar, sabe. Ele fez pessoas sofrerem e morrerem. Ele vai viver, mas, o deixei sem nenhum movimento abaixo do pescoço, cortei o nervo principal.

Yuri arregala os olhos, nunca soube de tal técnica medicinal. Então um deles foi até as garotas e as fez desmaiar, devagar fora andando até o Yuri, que tentou resistir. Tentou lhe dar um chute, mas o homem o segurou pela perna, e com a outra o fez desmaiar novamente.

***

Marcos chegou ao local, estava sem proteção, então foi andando até a parte de dentro da casa, avistou 2 corpos ao chão. Um estava morto, o outro com um grande corte na nuca. Nem pensou em ajuda-los simplesmente fora embora. Antes de sair sentiu um traço de energia. Rapidamente se virou e colocou a faca na barriga de uma pessoa. O que estava morto, ainda estava vivo. Então o deixou cair no chão, viu um celular em seu bolso. O pegou e viu uma ligação em anônimo. Pegou o celular na mesma hora que começou a tocar, então a voz falou. “Cuidado, os faxineiros estão indo ai pegar as crianças, se tiver alguém ai, também será vitima, me encontre na Rua Peixoto, na casa do final”. Então a pessoa desligou. Marcos olhou para Guilherme e disse:

-Eles estão lá, com certeza.

Reações: